http://folhanewsletter.blogspot.com.br

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

A Arte de Paul Klee

Tunisian Garden - Paul Klee
Eu conheci o trabalho deste pintor através de um exercício de escola da minha irmã há muitos anos atrás. Um tanto estranho para mim na época, já que ainda era novinha e não conseguia captar bem o conceito; Senti-me imediatamente atraída pelas cores e pelos traços incomuns. Dei asas a minha curiosidade e pesquisei um pouco mais sobre a sua arte. Paul Klee nasceu dentro de uma família de músicos e desde de pequeno mostrou talentos múltiplos - tanto para a música quanto para as artes plásticas.
Preferiu deixar um pouco de lado os seus desenhos, concentrando-se em seguir o modelo dos pais. Eventualmente o interesse modificou-se e perseguiu o seu verdadeiro sonho, por assim dizer. Com os anos acabou se tornando amigo de Kandinsky - outro fantástico pintor -, com quem lecionou na escola de artes e arquitetura de Bauhaus.

Estabeleceu o seu estilo sob as influências do expressionismo, cubismo, futurismo e surrealismo. Em suas obras é possível notar alguns elementos lúdicos, além da ligação com o pueril e com a música, influências claras de suas vivências. A poesia e os sonhos também eram temas frequentes. Paul Klee tinha uma forma particular de perceber o mundo e suas vivências, expressando-as com muita força em seus trabalhos.

O trecho a seguir retirei do Wikipédia pois achei interessante o que fala das formas de trabalho e técnicas do mesmo:

Geralmente, ele trabalhava isolado da vista dos demais, e interpretava as novas tendências artísticas de sua própria maneira. Extraordinariamente inventivo em seus métodos e técnicas, Klee trabalhou com vários materiais diferentes – tinta a óleo, aquarela, tinta preta, rascunho, e outros. Na maioria das vezes, ele combinava esses materiais em uma só obra. Ele usava tela, estopa, musselina, linho, gaze, papel-cartão, limalha, tecido, papéis de parede, e papel-jornal. Klee fazia uso de pintura a esguicho (spray), recortes com facas, carimbos e verniz, e misturava, por exemplo, óleo com aquarela ou aquarela com caneta e tinta indiana. Ele era um desenhista nato, e, através de seus extensivos experimentos, desenvolveu um domínio da cor e da tonalidade. A maioria de seus trabalhos combina estas habilidades. Ele usa uma grande variedade de paletas de cores, que seguem desde o quase monocromático até ao altamente policromático. Usa freqüentemente formas geométricas, além de letras, números, e setas, e as combina com figuras de animais e de pessoas. Algumas obras eram completamente abstratas. Grande parte de suas obras e seus títulos refletem seu humor seco e seus ânimos variados; algumas expressam convicções políticas. Suas obras aludem, freqüentemente, à poesia, à música e aos sonhos, e, às vezes, incluem palavras ou notações musicais. Suas últimas obras são distintas por símbolos “hieroglíficos”. Rainer Maria Rilke escreveu sobre Klee em 1921: “Mesmo se você não tivesse me contado que ele toca violino, eu teria adivinhado isto em várias ocasiões em que seus desenhos eram transcrições da música.”.


Acredito que seja justamente por esta miscelânea criativa e lirismo das temáticas que logo me vi hipnotizada pelo trabalho de Paul Klee. Seguem algumas de suas obras:
... The Bavarian Don Giovanni, 1919, Paul Klee ...
...  Arches of the Bridge Break Ranks, 1937, Paul Klee  ...
Farbstafel, 1930, Paul Klee
Villa Florentine, Paul Klee

Oriental Feast, Paul Klee
Schwimmfahiges, c.1938, Paul Klee
The Yellow House, 1914, Paul Klee
Sinbad the Sailor, Paul Klee

Este texto foi originalmente postado em meu blog Nascida em Versos


Por Karla Hack dos Santos

1 comentários :

  1. Artes peculiares, mas cada uma evoca um pensamento diferente. E não conhecia esse pintor. Sou meio leigo para esse tipo de arte, pra ser sincero. Mas o post está bem informativo, como sempre é de seu feitio :)

    Um beijo.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...