http://folhanewsletter.blogspot.com.br

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

O universo dos albinos

15:26 By Folha Newsletter , No comments

Confira a beleza exótica dos albinos


Foto: Gustavo Lacerda

O albinismo (do termo em latim albus, "branco"; também chamado de acromia, acromasia ou acromatose) é um distúrbio congênito caracterizado pela ausência completa ou parcial de pigmento na pele, cabelos e olhos, devido à ausência ou defeito de uma enzima envolvida na produção de melanina. O albinismo resulta de uma herança de alelos de gene recessivo e é conhecido por afetar todos os vertebrados, incluindo seres humanos. O termo mais comum usado para um organismo afetado por albinismo é "albino".


Foto: Gustavo Lacerda

O albinismo é associado com um número de defeitos de visão, como fotofobia, nistagmo e astigmatismo. A falta de pigmentação da pele faz com que o organismo fique mais suscetível a queimaduras solares e câncer de pele.

Existem três tipos de albinismo:

1- Ocular: quando a pessoa apresenta pigmentação abaixo do normal apenas na área interna dos olhos, ou seja, na íris e no fundo do olho (retina).
2- Cutâneo: pigmentação abaixo do normal apenas na pele e cabelo.
3- Universal: este é o tipo mais comum, quando os olhos, a pele e os cabelos não possuem pigmentação alguma.


Foto: Gustavo Lacerda

A cor dos cabelos pode oscilar entre loiro, branco ou ruivo.
Um casal de albinos pode ter um filho sem que ele desenvolva o gene recessivo, já que existem diferentes tipos de albinismos, cada um deles causados por diferentes mutações.


Foto: Stephen Thompson

Responsáveis por apenas 0.006 % da população mundial, os albinos ainda mexem com o imaginário das pessoas e são admirados pela sua aparência exótica.


Foto: Gustavo Lacerda

Descrição da doença
Nos indivíduos comuns/médios o organismo transforma um aminoácido chamado tirosina na substância conhecida por melanina. Para que haja produção de melanina devem ocorrer uma série de reações enzimáticas (metabolismo) por meio dos quais se opera a transformação do aminoácido Y (chamado tyr) em melanina, por intermédio da acção da enzima tirosinase.

Os indivíduos que padecem de albinismo têm este caminho metabólico interrompido, já que sua enzima tirosinase não apresenta nenhuma actividade (ou esta é tão pequena que é insuficiente), de modo que a transformação não ocorre e tais indivíduos ficarão sem pigmentação.

Papel da melanina
A melanina se distribui por todo o corpo, dando cor e proteção à pele, cabelos e à íris dos olhos. Quando o corpo é incapaz de produzir esta substância, ou de distribuí-la por todo o soma, ocorre a hipopigmentação, conhecida por albinismo.

Transmissão
O albinismo é hereditário, e transmite-se de três formas distintas:
Autossómica recessiva;
Autossómica dominante, e
Ligado ao cromossomo X, quando afeta apenas indivíduos do sexo masculino.


Foto: Stephen Thompson



Foto: Gustavo Lacerda



Foto: Stephen Thompson

Adaptado por Folha Newsletter do Para Curtir

0 comentários :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...