http://folhanewsletter.blogspot.com.br

sábado, 29 de junho de 2013

Apologia ao Caminho

Ao passar por este caminho sinto um déjà vu, acompanhado de uma incansável nostalgia. Sei que nunca estive aqui, mas o cenário me transporta, faz sentir sensações remotas, penso que talvez exista um laço, ligando esta vida a outras distantes, desconhecidas para mim.

Sinto por um momento que estou no paraíso, fecho meus olhos e deixo o vento soprar por entre meus cabelos, consigo captar a energia do momento que não retornará.


Ao ver a estupenda natureza sei que há um ser maior, pois tamanha beleza não poderia ser simplesmente criada, desenhada ou escrita por mãos frágeis, imperfeitas, que insistem em realizar o mal.

Neste simplório evento cotidiano consigo reaver meus ideais e adquirir força para enfrentar a vida que muitas vezes se demonstra árdua.

A árvore que define o caminho demonstra pureza, ingenuidade, me recorda a árvore do Éden, só não consigo identificar a cobra que traz malícia ao lugar.
Infelizmente não posso ficar aqui para sempre, terei que partir seguir adiante. Irei andando pelo caminho que define rotas, traça destinos.

Ao olhar para trás sinto que necessito voltar, mas sou impedida pelo tempo que define minhas metas.

Sei que poderei retornar outro dia, mas não será a mesma coisa. Tudo estará diferente, outras pessoas terão passado por aqui, deixarão suas impressões e pensamentos, modificarão o lugar.

A própria natureza se encarregará de alterar o resto, derrubando as flores, fazendo com que o ar juvenil de primavera se dissolva no ar.

Certamente não me encontrarei mais aqui, porque também estarei modificada. Por fora irei parecer idêntica, mas por dentro não serei, estarei em um momento distinto.
Não irei chorar em vão, sei que posso driblar o tempo.

De forma heroica resolvo voltar, refaço o caminho que conforta meus pés, admiro mais uma vez o sublime verde, respiro o ar puro por alguns instantes.

Por fim vou embora, definitivamente. Já me contentei por hoje, na verdade já enjoei.
Aspiro outros lugares, agora careço de concreto.




Por Michelle Franzini Zanin

Escritora e Jornalista

Contato: michelleescritora@yahoo.com.br




Quer ter seus artigos publicados aqui? | Contato para Guest Post

0 comentários :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...