http://folhanewsletter.blogspot.com.br

sábado, 15 de agosto de 2015

Tardígrados (ursos d'água), o organismo mais resistente do planeta!


Todo mundo pensa na barata como o único animal capaz de sobreviver a uma catástrofe nuclear. Mas elas não superam os tardígrados, também conhecidos como ursos d'água. Os animais são extremamente adaptáveis, capazes de viver no frio extremo, no calor do deserto, no fundo do mar e sobreviveriam a um ataque atômico.


Tardígrados têm corpos cilíndricos com quatro pares de pernas atarracadas. O corpo tem quatro segmentos (sem contar a cabeça), quatro pares de pernas sem articulações, e quatro patas com quatro a oito garras em cada. A carapaça contém quitina e é trocada periodicamente.

Tardigrada (do latim: tardus, lento + gradus, passo) é um filo de pequenos animais segmentados, relacionados com os artrópodes. Popularmente são conhecidos como ursos d'água ou como tardígrados, um aportuguesamento derivado do nome do filo. Foram descritos pela primeira vez por J.A.E. Goeze em 1773. O nome Tardigrada significa "que se desloca lentamente" foi dado por Spallanzani em 1776. Os tardígrados são animais pequenos. Os maiores adultos medem 1,5 mm de comprimento. Os menores chegam a medir 0,05 mm. São em maioria fitófagos, mas alguns são predadores, como o Milnesium tardigradum.


Possui sexos distintos, masculino e feminino; a fecundação é interna, e seu desenvolvimento é direto. São muito resistentes, segundo uma experiências de Universidades, Tardigrados foram congelados por 120 anos a uma temperatura de -300 °C e recentemente reanimados com apenas um pouco de água, eles também sobrevivem a temperaturas tão altas como 200 °C, pressão 75 mil atmosferas e radiação 570.000 grays, cerca de 1000 vezes mais que um ser humano, também são capazes de sobreviver no vácuo do espaço por até 10 dias.


Organismo vivo que pode viajar através do espaço sem roupas de proteção.

Em 2007 vários espécimes pertencentes a duas espécies de tardígrados foram enviados ao espaço por cientistas, onde foram expostos não apenas ao vácuo do espaço, onde é impossível respirar, mas também a níveis de radiação capazes de incinerar um ser humano. De volta ao planeta Terra, um terço deles ainda estava vivo, tornando-se assim os únicos animais nativos do planeta Terra capazes de sobreviver às condições do espaço extraterrestre sem a ajuda de equipamentos de que se tem conhecimento. Além do mais, 10 % dos sobreviventes foram capazes de reproduzir-se com sucesso, produzindo ovos que eclodiram normalmente. Em maio de 2011, estudos sobre os tardígrados foram incluídos na missão STS-134 do ônibus espacial Endeavour, em seu último voo ao espaço.


A resistência dos tardígrados acontece por causa de uma habilidade especial. Eles conseguem permanecer em estágio de dormência, no qual "desligam" todos os seus sistemas e processos biológicos. Essa hibernação profunda os deixa blindados à ameaças externas.


O ser que pode reviver mesmo depois de anos morto

Vivem por poucas semanas, mas por terem elaborado uma estratégia de dormência completa, na qual encolhem-se e desidratam-se, desligando todos os seus sistemas e processos biológicos, podem sobreviver por muitos anos quando encontram condições ambientais que não suportam a vida animal, permanecendo em um estado criptobiótico. É neste estado que conseguem suportar condições ambientais extremas. Quando as condições ambientais voltam a se tornar favoráveis, são capazes de reviver com a reidratação, e em poucas horas, voltam à sua forma original.



Fonte: Wikipédia

1 comentários :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...